Seja bem-vindo ao Dakota Johnson Brasil, sua fonte mais atualizada de informações sobre a atriz no Brasil. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue ao lado e divirta-se com todo o nosso conteúdo. O Dakota Johnson Brasil não é afiliado de maneira alguma a atriz, sua família, amigos ou representantes. Este é apenas um site feito de fãs para fãs, sem fins lucrativos.

Com a chegada do novo ano, a volta aos estudos/trabalho e os dias de divulgações, nós do Dakota Johnson Brasil decidimos abrir vagas na equipe. Antes de se inscrever, esteja ciente de que é um trabalho voluntário, onde a pessoa que se comprometer com o cargo deverá ter responsabilidade.

Leia sobre as vagas disponíveis e candidate-se:

  • Newsposter: Responsável por postar notícias no site. É necessário ter um bom português e principalmente um bom inglês, uma vez que a maioria das notícias são encontradas em inglês. (Vagas Fechadas)
  • Legender: Responsável por legendar, as vezes traduzir, vídeos para nossos canais no YouTube e IGTV. Será preciso baixar pelo menos um software para tal trabalho. Conhecimento de editor de vídeos também é necessário. (Vagas Abertas: 1)
  • Social Media: Responsável por cuidar das nossas redes sociais. Não é necessário alto conhecimento de inglês, apenas português para passar informações certas, e disponibilidade de tempo para manter atualizado. (Vagas Fechadas)
  • Tradutor: Responsável por traduzir entrevistas, vídeos, entre outros para nosso site. É necessário ter um inglês no mínimo intermediário, para poder fazer as traduções e adaptações necessárias com atenção. (Vagas Abertas: 1)
  • Gallery Manager: Responsável por manter a nossa galeria atualizada com as ultimas imagens da Dakota. (Vagas Fechadas)

Se interessou por alguma vaga? Mande os dados abaixo no formulário no fim do post.

Nome:*
Twitter:*
Instagram:
Facebook:
Área de interesse:*
Disponibilidade de tempo:*
Nível de inglês:*

Legender: Conhecimento de editores de vídeo, ou software de legenda?
Newsposter: Conhecimento da plataforma do WordPress?
Gallery Manager: Conhecimento de Coppermine?
Já foi ou é membro da equipe de algum site? Se sim, qual?*
Fale sobre por que gostaria de fazer parte da equipe do Dakota Johnson Brasil.*

*Campo obrigatório.



    A marca italiana Gucci está completando 100 anos e em comemoração ao centenário, chamou 7 grandes nomes para fazer parte de sua nova campanha.

    A campanha é para a linha de bolsas Beloved, que será lançada no dia 22 de abril, e conta com a participação de Dakota Johnson, Sienna MillerHarry Styles, Diane Keaton, Awkwafina, Serena Williams e James Corden.

    Enquanto esperamos pelo lançamento, confira uma foto de Dakota para a campanha, divulgada pela ELLE.



    Segundo o DEADLINE, Dakota Johnson fará parte do elenco do filme Cha Cha Real Smooth. Confiram a tradução logo abaixo:

    Após uma situação de licitação competitiva, Picturestart e Endeavor Content foram escolhidos para co-financiar e produzir Cha Cha Real Smooth. Cooper Raiff, cujo filme de estreia Shithouse ganhou o Grande Prêmio do Júri no SXSW do ano passado, dirigirá um roteiro que escreveu. Raiff vai estrelar com Dakota Johnson.

    Raiff vai produzir com Johnson e sua sócia da TeaTime Pictures, Ro Donnelly. Johnson finalizou esta semana Am I OK?, filme que a Picturestart financiou e produziu com Johnson.

    Endeavor Content está lidando com as vendas globais com ICM Partners. A produção está programada para começar no verão americano desse ano.

    No filme, Raiff consegue um emprego como promotor de uma festa de bar mitzvah – um cara que faz a multidão dançar e se divertir – enquanto ele, separadamente, faz amizade com uma jovem mãe (Johnson) e sua filha autista.

    Jessica Switch e Julia Hammer estão supervisionando o projeto da Picturestart.

    Johnson, será vista em breve estrelando The Lost Daughter dirigido por Maggie Gyllenhaal.



    Se ela está interpretando uma mulher que descobre as alegrias e peculiaridades de um amante sádico (a franquia de filmes Cinquenta Tons de Cinza), uma dançarina em uma escola dirigida por bruxas (o remake de Suspiria de 2018), assistente de uma exigente diva da música ( no ano passado, The High Note) ou, em seu novo filme Our Friend, uma esposa e mãe sucumbindo ao câncer, Dakota Johnson é sempre notavelmente natural e identificável na tela.

    É difícil dizer se isso é algo pelo qual ela se esforça ou se é natural para a atriz de terceira geração (a avó é a estrela de Os Pássaros, Tippi Hedren, os pais são Melanie Griffith e Don Johnson) – até mesmo para ela.

    “Não sei”, disse Johnson, que passou alguns anos de sua infância na área da baía, para o The Chronicle via Zoom em Malibu. “Eu apenas tento fazer o meu melhor e estar o mais conectada possível à realidade das histórias. Eu realmente não sei como – ou por que – não há … eu não tenho ideia!”

    No entanto, Johnson parece ter uma opinião sólida sobre Nicole Teague, uma artista de teatro musical que foi lembrada de maneira comovente por seu marido jornalista, Matt Teague, em um artigo da Esquire em que Our Friend baseia-se.

    Casey Affleck interpreta Matt e Jason Segel é o amigo mencionado no título, Dane Faucheux, uma alma sem rumo que encontra um propósito quando coloca sua vida em espera para se mudar para a casa dos Teagues no Alabama e ajudar a família no último ano de Nicole.

    Gabriela Cowperthwaite, que fez o documentário Blackfish, que mudou a indústria, dirigiu o filme com um olhar voltado para as pequenas misericórdias que podem tornar a tragédia suportável.

    Após o ano tumultuado que todos nós passamos – que Johnson começou co-dirigindo seu primeiro videoclipe, Cry Cry Cry, para a banda do namorado Chris Martin, ColdplayOur Friend parece o bálsamo duro, mas terno que nós todos poderíamos usar neste ponto. Johnson detalhou o que foi feito para fazê-lo.

    P: Você pode atuar praticamente todas as emoções que existem em Our Friend. Quais aspectos foram particularmente difíceis ou satisfatórios de resolver?

    R: O que adorei na história é que havia um certo nível de leveza na tragédia. Esse é um paralelo bastante preciso de como é a vida real. Tragédia e comédia andam de mãos dadas na maior parte do tempo, e neste filme é muito sobre compaixão e amor e amizade e vida e morte, mas também é sobre cada pequeno momento que você pode agarrar e saborear.

    P: Dito isso, Nicole mostra muita dor e um comportamento desagradável como resultado disso. Algumas dessas coisas devem ter custado muito para serem representadas.

    R: Meu processo era tornar a jornada e o relacionamento com os outros membros do elenco o mais autêntico possível, então testemunhar suas reações a certas coisas foi realmente emocionante e difícil para mim porque parecia muito genuíno.

    A raiva que uma pessoa pode sentir quando toma certos medicamentos para o câncer e como isso afeta você psicologicamente pode variar. Fazer a pesquisa sobre isso e entender o que aconteceu com Nicole a esse respeito foi complicado, mas também fascinante.

    O aspecto da mortalidade também foi muito duro. Interpretar essa mulher me fez sentir muito consciente de quantas pessoas têm suas vidas roubadas. Isso é uma coisa realmente difícil de engolir, alguém que é tão generoso e genuíno e amoroso e brilhante e talentoso – e há tantas pessoas assim no mundo. Especialmente agora, é muito difícil entender o número e a intensidade do sofrimento que está ocorrendo. Então, isso foi muito difícil.

    P: Você teve muitas discussões com os sobreviventes de Nicole?

    R: Eu nunca conheci Dane; Acho que Jason o conheceu uma vez. Matt Teague desenvolveu o roteiro e foi o produtor do filme. Ele veio para o set e as garotas vieram algumas vezes, o que foi tão intenso. Foi bonito; não era estranho e desconfortável. Foi muito surreal estar em uma cena em que sou a mãe dessas meninas e depois olhar para fora da câmera e ver as meninas, mas elas mais velhas.

    Filmando na cidade em que moravam, todos sabiam o que estávamos fazendo e sobre quem estávamos fazendo o filme. Todos eles os conheciam e conheciam a jornada de Nicole e a acompanharam em diferentes estágios de sua doença.

    P: Você disse que a parte mais assustadora de fazer este filme foi cantar no teatro onde Nicole trabalhou.

    R: Sim. Eu já tenho medo de palco, então cantar na frente das pessoas foi realmente assustador para mim. Isso se manifestou, tipo, de forma física de pânico. Mas eu superei.

    P: E então você codirigiu um videoclipe. Espera fazer mais?

    R: Nunca pensei que iria começar a dirigir, mas sempre quis fazer videoclipes porque não existem regras reais. Existe um nível de liberdade artística que eu realmente amo.

    Eu não descartaria que eu pudesse dirigir mais alguns no futuro. Eu adoraria fazer mais videoclipes, e se surgir algo que signifique algo profundamente para mim, talvez. Mas, por agora, estou feliz em apenas vagar por aí.

    P: Você foi para a Hamlin School em São Francisco por um ano enquanto seu pai estava fazendo a série Nash Bridges, então fez o primeiro ano do ensino médio em Santa Catalina em Monterey. Quais são as suas lembranças do tempo que passou na área da baía?

    R: Eu amo São Francisco. Eu realmente amei lá. Eu acho que é uma cidade espetacular.

    (Quanto a Monterey) Quero dizer, é um lugar muito pitoresco e bonito. Mas um colégio interno católico só para meninas não é para mim!

    Our Friend (R) disponível em cinemas selecionados e streaming via vídeo sob demanda a partir de sexta-feira, 22 de janeiro.

    Tradução: Valentina Scardasi | Fonte



    Conversamos com Johnson sobre interpretar uma mulher em estado terminal, a cena que partiu seu coração, e encontrar a alegria em tempos difíceis.

    A comédia não é necessariamente a primeira coisa que vem à mente quando se pensa em câncer. Mas é essa combinação de tragédia e humor que atraiu Dakota Johnson para seu último filme, Our Friend. Baseado em um ensaio de 2015 da

    No dia da posse presidencial dos EUA de 2021 (“Que dia”, diz Johnson), FLARE falou com o ator via Zoom sobre a cena que partiu seu coração, o que a trouxe alegria em 2020 e se a veremos ou não em um musical em breve. Está pensando em assistir ao filme? Recomendamos alguns lenços.

    Friend: Love Is Not a Big Enough Word, de Matthew Teague, o filme segue a personagem de Johnson, Nicole, enquanto ela luta contra um câncer terminal. Juntando-se a ela na luta estão seu marido Matt (interpretado por Casey Affleck) e seu amigo de longa data Dane (Jason Segel), o último dos quais larga tudo em sua vida para apoiar o casal e sua família enquanto eles lutam com os raros altos e imensos baixos que vêm com a doença. Morrer não é bonito e, como tanto o filme quanto o ensaio original de Teague detalham, não era para ser. É para ser real.

    Dakota Johnson foi atraída para Our Friend por um motivo específico.
    Embora possa ser difícil imaginar a comédia existente em um filme sobre o câncer, Our Friend não economiza nos momentos mais leves da vida dos personagens principais de Nicole e Matt. Dos acessos de desmaio de Matt (ele desmaia quando fica animado ou nervoso – relacionável), à tendência da melhor amiga Dane para comédia stand-up, há algumas grandes explosões de leveza. Isso é o que atraiu Johnson para o filme e o papel de Nicole. “Eu realmente fui atraída pelo humor que estava manchado ao longo do roteiro”, diz ela. “Achei extraordinariamente genuíno aparar uma tragédia e um sofrimento tão imensos com leveza como essa. Assim é a vida real.”

    O que faz sentido, considerando que o filme é baseado na história da vida real dos Teagues, uma família do Alabama que tem que enfrentar a realidade do câncer quando a matriarca Nicole, uma vibrante amante de teatro e performer, adoece por volta dos trinta anos. Embora Johnson diga que ter Matt Teague no set e envolvido no desenvolvimento do roteiro foi útil, assim como as filmagens na cidade do Alabama onde a família mora, interpretar uma pessoa real como Nicole foi assustador. “Há uma espécie de pressão adicional para acertar”, diz ela. “Mas todos nós meio que renunciamos a isso porque era mais importante que os relacionamentos e a jornada fossem autênticos.”

    Há uma cena em particular que partiu o coração de Johnson.
    Um dos momentos mais pungentes vem no meio do filme, quando Nicole e Matt compartilham um momento de intimidade conjugal, com Matt ajudando Nicole a colocar creme em seu corpo. Nesse ponto do filme, Nicole está doente há vários anos; seus antes longos e sedutores cabelos cortados em um corte de duende. Nicole se olha no espelho e diz “Estou tão feia agora” para o marido. *Corte para as lágrimas*

    É um momento de partir o coração, mas que capta a sensação de que muitas pessoas – especialmente mulheres – falam quando estão doentes: a perda e a dissociação de seu corpo. Para Johnson, a cena foi tão dolorosa para ela filmar quanto para o público assistir.

    “Eu acho que a ideia de uma mulher que era tão vibrante, e tão brilhante, e tão talentosa, e genuinamente cheia de amor e cores, ter essa percepção realmente crua de que ela fisicamente não é a pessoa que costumava ser é devastadora”, Johnson diz. “E não poder fazer nada a respeito”. Embora Johnson diga que acha que Nicole ainda era bonita naquele momento, “ter sua beleza e sua energia, seu corpo e sua vitalidade e, finalmente, sua vida roubada é simplesmente horrível. E é uma doença tão comum.”

    Johnson teve uma resposta surpreendente sobre cantar no filme.
    Outra cena que foi difícil para Johnson filmar, por um motivo totalmente diferente, chega perto do final do filme quando Nicole está no palco, cantando para o público. Uma rápida varredura dos créditos finais mostra que é, na verdade, Johnson quem está realmente cantando. (Para sua informação, a voz dela é linda.)

    Mas embora possamos supor que os atores não são propensos a ter medo do palco – e também podemos supor que Johnson, que desnudou * muito * mais fisicamente em filmes como Cinquenta Tons de Cinza, ficaria confortável sob os holofotes – estaríamos errado. Durante uma entrevista em 19 de janeiro no The Tonight Show, estrelado por Jimmy Fallon, Johnson se abriu sobre as filmagens daquela cena, revelando que ela realmente teve um ataque de pânico no set. “Cantar na frente das pessoas é realmente tão assustador para mim”, disse ela a Fallon. E apesar do fato de que a câmera não está nela por muito tempo, “[quando] eles tocaram a reprodução da minha gravação de voz e chamaram de ‘ação’, foi como se eu tivesse um ataque de pânico que se manifestou de todas as maneiras que acontece, e pode. Então eu simplesmente comecei a correr.”

    “Foi uma espécie de reflexão tardia para mim”, disse Johnson ao FLARE sobre ter que cantar. “Estava me concentrando mais na história.” Mas, ela diz, cantar e se apresentar eram uma grande parte da vida de Nicole, o que significa que Johnson percebeu, enquanto ela se preparava, que ela mesma teria que se apresentar. “Eu estava tipo, “Oh … isso mesmo. Ok.” “Mas, apesar dos nervos iniciais e uma corrida ao redor do set,“ acabou dando certo”, ela diz,“ Eu superei [isso]”.

    E agora que ela superou seus medos iniciais e cantou em um filme, poderíamos ver Johnson cantando novamente em papéis futuros? Ou talvez estrelando em um musical? Não conte com isso. “Eu duvido”, ela diz com uma risada. “Mas você nunca sabe.”

    E, finalmente, Johnson espera que Our Friend ajude as pessoas a se concentrarem na alegria.
    Pode ser difícil procurar mensagens de positividade em um filme emocionante como Our Friend, mas, em última análise, é isso que Johnson espera que o público tire dele. ”Espero que as pessoas sintam um senso de unidade e talvez sejam mais propensas a ser mais compassivas e mais focadas nas pequenas coisas que trazem alegria”, diz ela.

    Então, em um ano que trouxe muitas perdas e momentos difíceis, o que Johnson fez em 2020 que trouxe sua alegria? Além de fazer um filme em 2020, “Tenho trabalhado em coisas que me interessam, como minha produtora [TeaTime Productions] e cuidando das pessoas que estão mais próximas de mim, minha família e meus entes queridos”, ela diz.

    O que é algo que Dane de Our Friends poderia realmente apoiar.

    Our Friend está nos cinemas e disponível na Amazon Prime em 22 de janeiro.

    Tradução: Valentina Scardasi | Fonte



    [ATUALIZAÇÃO 28/01/2021 às 21:38]

    Durante a divulgação de seu filme Our Friend, Dakota Johnson mencionou em algumas entrevistas que começará a gravar um novo projeto no início de fevereiro, na cidade de Los Angeles, Califórnia. O filme, ainda sem nome definido, será dirigido pela comediante Tig Notaro e sua esposa Stephanie Allynne, e produzido pela TeaTime Pictures, produtora fundada por Dakota e Ro Donnelly.

    Nessa sexta-feira, 22, foi adicionado na filmografia de Dakota Johnson no site IMDb, um novo filme, sem título e a única informação é de que sua personagem se chama Lucy. Ainda nesta sexta, internautas encontraram uma matéria de 2019 no site do DEADLINE, falando sobre os futuros projetos da dupla Notaro e Allynne. Na matéria, é citado um projeto inspirado numa biografia escrita por Lauren Pomerantz, conhecida por trabalhar no Saturday Night Live e no The Ellen DeGeneres Show.

    Segundo o DEADLINE, o filme contará a história de Lucy (Johnson) e Jane, de 30 e poucos anos, que são melhores amigas há anos. Elas aprenderam quase tudo sobre a vida e uma da outra juntas. No entanto, existem coisas desconhecidas, ou não totalmente aceitas, que Lucy esconde de Jane e dela mesma. Somente quando Lucy embarcar em uma jornada pessoal, ela enfrentará um teste de sua amizade e seu senso de identidade, em um caminho em que ela pode não estar pronta para seguir.

    Foi anunciado pela Variety que o novo projeto de Dakota Johnson se chama Am I Ok?.

    Além de Johnson, o elenco conta também com Sonoya Mizuno, Jermaine Fowler, Whitmer Thomas, Molly Gordon, June Diane Raphael, Tig Notaro e Sean Hayes. Junto do anuncio do título e do elenco, foi divulgado novas informações da história, leia abaixo:

    Quando Jane anuncia que está se mudando de Los Angeles para Londres em busca de trabalho, Lucy revela um segredo profundamente enterrado e guardado há muito tempo. Enquanto Jane tenta ajudar Lucy a separar velhos padrões e novos sentimentos, o vínculo entre elas se transforma em caos.



    Layout criado e desenvolvido por Lannie.D - Dakota Johnson Brasil © 2020  
    Host: Flaunt Network | DMCA | Privacy Policy