Seja bem-vindo ao Dakota Johnson Brasil, sua fonte mais atualizada de informações sobre a atriz no Brasil. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue ao lado e divirta-se com todo o nosso conteúdo. O Dakota Johnson Brasil não é afiliado de maneira alguma a atriz, sua família, amigos ou representantes. Este é apenas um site feito de fãs para fãs, sem fins lucrativos.

Conversamos com Johnson sobre interpretar uma mulher em estado terminal, a cena que partiu seu coração, e encontrar a alegria em tempos difíceis.

A comédia não é necessariamente a primeira coisa que vem à mente quando se pensa em câncer. Mas é essa combinação de tragédia e humor que atraiu Dakota Johnson para seu último filme, Our Friend. Baseado em um ensaio de 2015 da

No dia da posse presidencial dos EUA de 2021 (“Que dia”, diz Johnson), FLARE falou com o ator via Zoom sobre a cena que partiu seu coração, o que a trouxe alegria em 2020 e se a veremos ou não em um musical em breve. Está pensando em assistir ao filme? Recomendamos alguns lenços.

Friend: Love Is Not a Big Enough Word, de Matthew Teague, o filme segue a personagem de Johnson, Nicole, enquanto ela luta contra um câncer terminal. Juntando-se a ela na luta estão seu marido Matt (interpretado por Casey Affleck) e seu amigo de longa data Dane (Jason Segel), o último dos quais larga tudo em sua vida para apoiar o casal e sua família enquanto eles lutam com os raros altos e imensos baixos que vêm com a doença. Morrer não é bonito e, como tanto o filme quanto o ensaio original de Teague detalham, não era para ser. É para ser real.

Dakota Johnson foi atraída para Our Friend por um motivo específico.
Embora possa ser difícil imaginar a comédia existente em um filme sobre o câncer, Our Friend não economiza nos momentos mais leves da vida dos personagens principais de Nicole e Matt. Dos acessos de desmaio de Matt (ele desmaia quando fica animado ou nervoso – relacionável), à tendência da melhor amiga Dane para comédia stand-up, há algumas grandes explosões de leveza. Isso é o que atraiu Johnson para o filme e o papel de Nicole. “Eu realmente fui atraída pelo humor que estava manchado ao longo do roteiro”, diz ela. “Achei extraordinariamente genuíno aparar uma tragédia e um sofrimento tão imensos com leveza como essa. Assim é a vida real.”

O que faz sentido, considerando que o filme é baseado na história da vida real dos Teagues, uma família do Alabama que tem que enfrentar a realidade do câncer quando a matriarca Nicole, uma vibrante amante de teatro e performer, adoece por volta dos trinta anos. Embora Johnson diga que ter Matt Teague no set e envolvido no desenvolvimento do roteiro foi útil, assim como as filmagens na cidade do Alabama onde a família mora, interpretar uma pessoa real como Nicole foi assustador. “Há uma espécie de pressão adicional para acertar”, diz ela. “Mas todos nós meio que renunciamos a isso porque era mais importante que os relacionamentos e a jornada fossem autênticos.”

Há uma cena em particular que partiu o coração de Johnson.
Um dos momentos mais pungentes vem no meio do filme, quando Nicole e Matt compartilham um momento de intimidade conjugal, com Matt ajudando Nicole a colocar creme em seu corpo. Nesse ponto do filme, Nicole está doente há vários anos; seus antes longos e sedutores cabelos cortados em um corte de duende. Nicole se olha no espelho e diz “Estou tão feia agora” para o marido. *Corte para as lágrimas*

É um momento de partir o coração, mas que capta a sensação de que muitas pessoas – especialmente mulheres – falam quando estão doentes: a perda e a dissociação de seu corpo. Para Johnson, a cena foi tão dolorosa para ela filmar quanto para o público assistir.

“Eu acho que a ideia de uma mulher que era tão vibrante, e tão brilhante, e tão talentosa, e genuinamente cheia de amor e cores, ter essa percepção realmente crua de que ela fisicamente não é a pessoa que costumava ser é devastadora”, Johnson diz. “E não poder fazer nada a respeito”. Embora Johnson diga que acha que Nicole ainda era bonita naquele momento, “ter sua beleza e sua energia, seu corpo e sua vitalidade e, finalmente, sua vida roubada é simplesmente horrível. E é uma doença tão comum.”

Johnson teve uma resposta surpreendente sobre cantar no filme.
Outra cena que foi difícil para Johnson filmar, por um motivo totalmente diferente, chega perto do final do filme quando Nicole está no palco, cantando para o público. Uma rápida varredura dos créditos finais mostra que é, na verdade, Johnson quem está realmente cantando. (Para sua informação, a voz dela é linda.)

Mas embora possamos supor que os atores não são propensos a ter medo do palco – e também podemos supor que Johnson, que desnudou * muito * mais fisicamente em filmes como Cinquenta Tons de Cinza, ficaria confortável sob os holofotes – estaríamos errado. Durante uma entrevista em 19 de janeiro no The Tonight Show, estrelado por Jimmy Fallon, Johnson se abriu sobre as filmagens daquela cena, revelando que ela realmente teve um ataque de pânico no set. “Cantar na frente das pessoas é realmente tão assustador para mim”, disse ela a Fallon. E apesar do fato de que a câmera não está nela por muito tempo, “[quando] eles tocaram a reprodução da minha gravação de voz e chamaram de ‘ação’, foi como se eu tivesse um ataque de pânico que se manifestou de todas as maneiras que acontece, e pode. Então eu simplesmente comecei a correr.”

“Foi uma espécie de reflexão tardia para mim”, disse Johnson ao FLARE sobre ter que cantar. “Estava me concentrando mais na história.” Mas, ela diz, cantar e se apresentar eram uma grande parte da vida de Nicole, o que significa que Johnson percebeu, enquanto ela se preparava, que ela mesma teria que se apresentar. “Eu estava tipo, “Oh … isso mesmo. Ok.” “Mas, apesar dos nervos iniciais e uma corrida ao redor do set,“ acabou dando certo”, ela diz,“ Eu superei [isso]”.

E agora que ela superou seus medos iniciais e cantou em um filme, poderíamos ver Johnson cantando novamente em papéis futuros? Ou talvez estrelando em um musical? Não conte com isso. “Eu duvido”, ela diz com uma risada. “Mas você nunca sabe.”

E, finalmente, Johnson espera que Our Friend ajude as pessoas a se concentrarem na alegria.
Pode ser difícil procurar mensagens de positividade em um filme emocionante como Our Friend, mas, em última análise, é isso que Johnson espera que o público tire dele. ”Espero que as pessoas sintam um senso de unidade e talvez sejam mais propensas a ser mais compassivas e mais focadas nas pequenas coisas que trazem alegria”, diz ela.

Então, em um ano que trouxe muitas perdas e momentos difíceis, o que Johnson fez em 2020 que trouxe sua alegria? Além de fazer um filme em 2020, “Tenho trabalhado em coisas que me interessam, como minha produtora [TeaTime Productions] e cuidando das pessoas que estão mais próximas de mim, minha família e meus entes queridos”, ela diz.

O que é algo que Dane de Our Friends poderia realmente apoiar.

Our Friend está nos cinemas e disponível na Amazon Prime em 22 de janeiro.

Tradução: Valentina Scardasi | Fonte

Layout criado e desenvolvido por Lannie.D - Dakota Johnson Brasil © 2020  
Host: Flaunt Network | DMCA | Privacy Policy