Dakota Johnson Brasil » Cinquenta tons de liberdade

Seja bem-vindo ao Dakota Johnson Brasil! Sinta-se à vontade para comentar nos posts, visitar nossa galeria e ficar informado sobre a atriz e modelo Dakota Johnson. Esperamos que aproveite todo o conteúdo que o site tem a oferecer e volte sempre.

Arquivo de 'Cinquenta tons de liberdade'



17.02.2018
postado por Anna C e categorizado como Cinquenta tons de liberdade, Filmes, vídeo

O brasileiro Hugo Gloss participou da press junket de Cinquenta Tons de Liberdade em Paris e entrevistou a nossa querida Dakota. A atriz comentou sobre a sua rápida passagem pelo Brasil em outubro de 2017, os fãs brasileiros e, claro, sobre o último filme da franquia tão amado pelos fãs por todo o mundo. Confira abaixo a entrevista:

15.02.2018

Dentre muitas entrevistas novas sendo liberadas, a revista Marie Claire também publicou sua conversa com Dakota Johnson, em que ela fala sobre seu novo filme, Cinquenta Tons de Liberdade, gravar cenas íntimas e muito mais. Confira o papo da atriz com a revista na íntegra à seguir:

Dakota Johnson acabou de completar seu trabalho como Anastasia Steele no filme incrivelmente erótico/hilário, Cinquenta Tons de Liberdade—um filme que viu Ana e Christian darem um tempo ao Quarto Vermelho para se casarem, engravidarem e lidarem com um antigo editor sinistro chamado Hyde que está fazendo de tudo para matar todo mundo enquanto simultaneamente é incrivelmente extra.

Mas, não se preocupem, ainda há muitas cenas de sexo apaixonadas para vocês. Como resultado, Johnson passou um bom tempo navegando pelos momentos mais intensamente íntimos da saga (três palavras: sorvete sendo preliminar). Aqui, a atriz conversa com a MarieClaire.com sobre qual cena foi a mais difícil de gravar, a parte menos sexy de fazer esse filme, tomar doses com Jamie Dornan e tendo uma tanga colada em seu corpo. Sim, de verdade.

Sim, há um específico cronograma para as gravações das cenas de sexo:
“Se pudéssemos fazer todas as cenas de sexo em um dia mais ou menos, isso iria de verdade para o Guinness Book of World Records. Muitas delas dependiam das localizações, e pelo fato da gente ter gravado o segundo e terceiro filmes simultaneamente, as cenas de sexo estavam meio que agrupadas juntas, em sua grande parte. E algumas delas não estavam inclusas nessas duas semanas de gravações.”

Aquela intensa cena com as algemas no Quarto Vermelho (vocês sabem qual) foi incrivelmente difícil:
“A mais difícil de todas—acho que dos três filmes—foi uma cena de sexo do terceiro filme onde eu estava algemada com meus braços e pernas na porta suspensa. É tipo uma cerca que é abaixada. E eu estava vendada. Foi meio chocante, porque eu não havia percebido que não importava o quão preparada eu estava, quando seus sentidos são tirados de você dessa forma, você não consegue controlar a forma que seu sistema nervoso reage. Então foi bem complicado fazer aquela cena. Foi difícil.”

Eles tomam doses antes das cenas de sexo, o que é compreensível:
“A maior parte da [nossa preparação] é realmente descobrir exatamente como vamos realizar aquela cena antes—para que não haja muita espera enquanto estamos ambos vulneráveis. Mas, se algo for muito, muito difícil, às vezes é necessário tomar uma dose de algo forte antes.”

Fazer essas cenas nunca se torna menos embaraçoso:
“Não, nunca é fácil. Não é casual e não é divertido. Nunca ficou fácil.”

Hum, ela teve uma tanga colada ao seu corpo:
“Ah sim, a bolsinha do Jamie. É super não glamourosa—realmente o oposto de sexy. Ele usou aquilo, e eu tinha essas tangas sem alça que tinham cola nelas. Não é cola, mas é pegajoso. Elas são, tipo, basicamente um adesivo de mamilo, só que no formato de uma calcinha. Mas só é pegajoso em cima, não é pegajoso em tudo. Essa tonga também ficava saindo porque o adesivo ficava gasto, então eles passavam supercola no meu corpo para que não caísse. E eu usava duas delas. Não é doloroso, quer dizer, não é quase nada. Mas eu acho que você tem uma pequena sensação de estar coberta. É bizarro para car*lho.”

Gente, eles trabalharam com um “orientador sexual” então nunca diga que esse filme não foi bem ensaiado:
“Em grande parte, Jamie teve um orientador que estava no set do primeiro filme, nem tanto para o segundo. Então, nós tínhamos apenas pessoas que se especializaram em saber como as coisas funcionavam, tipo como usar certas ferramentas e brinquedos. Há um certo método. É muito complexo e os detalhes são muito importantes. As regras também são. Não queríamos fazer um filme sobre algo que não havíamos pesquisado profundamente. Então, para realmente honrar a comunidade BDSM, fizemos isso do jeito certo.”

Fonte | Tradução: Laura M.

14.02.2018

Na semana passada, Dakota Johnson foi à Paris, na França, para promover Cinquenta Tons de Liberdade. De lá, ela conversou pelo telefone com o AOL Entertainment, falando sobre o filme, sua carreira e mais. Confira:

DAKOTA JOHNSON ESTÁ “FELIZ” POR TER FINALIZADO A FRANQUIA CINQUENTA TONS, MAS ISSO NÃO SIGNIFICA QUE ELA NÃO APRECIA OS EFEITOS INCRÍVEIS QUE ELA — E SEUS FÃS — TIVERAM EM SUA CARREIRA DE ATRIZ.

Quando Dakota Johnson falou com o AOL Entertainment pelo telefone durante uma recente press tour de Cinquenta Tons de Liberdade em Paris, ela começou a conversa mencionando a última história louca que foi parar nas manchetes.

“Você viu essa história de papeis da Segurança Nacional sendo esquecidos num avião?” ela perguntou, se referindo aos documentos de anti-terrorismo do Super Bowl que foram, bem, esquecidos em um avião.

“Vi,” respondi com uma risada nervosa. “Lendo as notícias entre entrevistas, presumo?”

“Lendo as notícias e também [pensando], Que p-rra está acontecendo?” Johnson respondeu. “Acho que as pessoas estão tão assustadas com o mundo que estão perdendo a cabeça — especialmente eu.”

Pelo contrário! Durante nossa entrevista, a atriz não poderia ter sido mais séria, autoconsciente e aberta. Johnson, sem se arrepender em ser seletiva sobre com quem ela trabalha, assim como em sua decisão de deixar de lado as redes sociais pelo bem de sua saúde mental, continua a aprender mais e mais sobre si mesma e suas habilidades com cada projeto que aceita fazer, e isso a anima.

E enquanto ela começa a olhar adiante da franquia de Cinquenta Tons, Johnson será, com certeza, sempre grata pelas oportunidades que lhe foram dadas, chegando até a dizer que “não teria uma carreira” sem isso.

Abaixo, o AOL Entertainment conversa com Dakota Johnson sobre finalizar a franquia de filmes de Cinquenta Tons, empurrando-se para se tornar uma melhor atriz e sua apreciação pelos seus fãs.

Confiram nossa conversa completa com Dakota Johnson à seguir:

Como se sente em finalizar essa era de sua carreira?
É incrível. Me sinto muito grata e orgulhosa desses filmes. Sinto orgulho de ter finalizado eles. Chegamos ao fim, ainda estou viva e isso é uma vitória. [Risos] Eu me sinto animada, para ser sincera. Estou feliz, e espero que os fãs gostem do filme. Acho que o terceiro está realmente focado em satisfazer os fãs, e isso é muito importante para mim. Eles me deram a vida mais incrível. Estou animada para seguir em frente e continuar fazendo filmes — alguns que eu talvez não tenha que estar nua.

Os fãs de Cinquenta Tons são incrivelmente apaixonados e protetores desse material. Como foi interagir e ouvir comentários deles nos últimos anos?
Não posso dizer que interajo muito ou ouço comentários, porque não tenho redes sociais, então eu não entendo toda essa conversa, o que acho que é muito bom para minha saúde mental. Não seria capaz de lidar com esse tipo de crítica e julgamento. Sou uma pessoa muito privada e não consigo entrar em sintonia com aquilo, mas o que eu mais senti com os fãs foi o apoio incrível e a lealdade. Foi realmente maravilhoso para mim. O fato de que eles sempre voltam para assistir os filmes e ficam igualmente animados com eles é incrível. Sem isso, eu não teria uma carreira. Não teria a plataforma que tenho.

O que você aprendeu sobre si mesma ou sobre suas habilidades de atuação enquanto trabalhava nos filmes de Cinquenta Tons?
Aprendi muito. Aprendi sobre os tipos de pessoas com quem quero trabalhar e que, de verdade — com convicção, graça e auto-estima — eu posso tornar qualquer um dos meus sonhos realidade trabalhando duro. Também aprendi que não preciso comprometer a mim e a minha auto-estima pelos meus sonhos. Aprendi que não há problema em eu me defender, mesmo que isso signifique que não gostem de mim. Não tem problema. Aprendi que não sei até onde minhas habilidades vão ou quais são meus limites. Não há paredes ou tampas no que eu sou capaz de fazer. Cada trabalho que faço, fico surpresa e aprendo. Nunca vou me acostumar com esse trabalho, e nunca ficarei entediada ou me sentirei totalmente confortável com ele.

Você disse que aprendeu e que não sabe os limites das suas próprias habilidades. Cite algo que você recentemente aprendeu enquanto filmava que te surpreendeu.
Eu gravei esse filme, Suspiria, e em 90% [dele] era eu mesma dançando, e isso foi uma realização. Aquele era o tipo de trabalho em que eu estava aterrorizada de fazer durante os três anos de preparação, e até o último dia eu estava, “Não consigo fazer isso, não consigo fazer isso, não consigo fazer isso,” e quando o último dia passou eu disse, “Ok, eu consegui.”

Muita coisa acontece em Cinquenta Tons de Liberdade. Tem um casamento, uma lua de mel, uma casa nova, um sequestro de um parente. Como você abordou tudo isso durante as filmagens?
É muita coisa sim. É demais. Não sei [como lidei com isso], porque não escolhi as coisas pelas quais ela passou. Na maior parte do tempo, com cada coisa que ela encarava, ela fazia uma escolha entre ser empoderada ou meio que apenas se deitar. 9 de 10 vezes, ela escolhe ser empoderada. Talvez até mesmo 10 de 10 vezes.

Fonte | Tradução: Laura M.

11.02.2018

Dentre inúmeras entrevistas concedidas por Dakota promovendo Cinquenta Tons de Liberdade, uma delas foi para a revista ucraniana Telegid. Confira o que ela disse à seguir:

Dakota, agora que o terceiro filme da série “Cinquenta tons” está completo, como você se sente?
Sinto-me nostálgica, agradecida pela experiência e entusiasmada com a expectativa de um futuro desconhecido

Como foi seu último dia de filmagens?
Na verdade, foi uma gravação na madrugada, esperamos o amanhecer para gravar as cenas finais. Parecia que o sol nunca nasceria! A espera foi cansativa, mas quando vimos o sol, a manhã foi linda.

No último filme, Anastasia voltou com Christian. Como o relacionamento deles está se desenvolvendo agora, em “Cinquenta Tons de Liberdade”?
Anastasia e Christian decidiram que a conexão entre eles será eterna. Eles são uma imagem espelhada do outro. Então, esses dois decidiram se casar, e isso veio de forma consciente – isso dará ao casal a oportunidade de se concentrar em seus próprios sentimentos. Parece-lhes que, dessa forma, nenhuma influência ou ameaça externa pode ofuscar sua felicidade. Ao mesmo tempo, Anastasia tomou um lado mais sexual e dominante de si mesma, que é a força motriz do filme.

O que ela gosta sobre estar casada?
Anastasia fica mais confiante, apesar de ter mais responsabilidades. Agora estamos falando não só sobre sua vida, mas também sobre a vida de seu marido e, por último, de seus filhos. Eu acho que o casamento combina com ela.

Foi difícil filmar a cena do casamento?
Foi engraçado e ao mesmo tempo estranho. Antes disso, nunca gravei esse tipo de cerimônia. Este foi um dos poucos casos em que todo o elenco estava no set.

Como nos filmes anteriores, havia lugar para humor no filme?
Claro, esses filmes precisam de um alívio cômico.

Você provavelmente teve dificuldade em ficar de cara séria no set.
Ah, sim. Com frequência; de repente eu ria para a câmera, e como resultado, tive que fazer tudo de novo.

Christian Grey é uma pessoa bastante complicada. O que Jamie Dornan trouxe de fundamental a esse papel?
Jamie enfatizou não só a complexidade de seu personagem, mas também lhe deu um aspecto cômico. Christian, pelo temperamento do personagem, é bastante frio e distante, mas Jamie é gentil e, portanto, deu-lhe calor.

Você se tornou amiga dele nesses três filmes?
Eu sinto que nos tornamos amigos para sempre.

Isso ajudou você a se tornar mais natural em cenas íntimas?
Claro, se não nos entendêssemos, seria muito mais difícil. As gravações de cenas eróticas são sempre estranhas, e sua intensidade cresce ao longo da história; então, se eu não confiasse nele ou não me sentisse segura seria um pesadelo.

Anastasia e Christian realmente se amam. Por que seus sentimentos estão sendo testados em cada filme?
O maior teste foi o fato de que minha heroína ficou grávida. Afinal, naquela época, eles não estavam prontos para o nascimento de uma criança. Para Christian é uma ameaça de perder a liberdade, e Anastasia é muito jovem para se tornar mãe.

O filme se transforma gradualmente em um suspense?
Há certos momentos de suspense no terceiro filme, porque a vida de Anastasia está ameaçada.

O que você vê em Anastasia Steele?
Considero-a inteligente, compassiva, durona, franca, digna e elegante. Ela respeita a si mesma e aos outros. Ela é uma mulher inspiradora e uma boa pessoa.

Muitas jovens do mundo olham para ela, mas admiram você.
Isso me faz sentir desconfortável. Mas, na verdade, recebi uma incrível oportunidade de dar vida à imagem de Anastasia.

Como você trabalhou com o diretor James Foley?
Ele é muito inteligente. Aderiu estritamente à ética do trabalho, permitindo que os atores experimentassem seus personagens. Além disso, James sempre perdoava os membros da equipe e suas diferentes liberdades.

Como foi o impacto no processo com a presença de E. L. James?
Com toda adaptação cinematográfica – você nunca pode colocar todo o livro em um filme. Claro, ela queria ter certeza de que os pontos importantes fossem garantidos nas filmagens.

Quando você avalia toda a experiência de trabalhar em “Cinquenta Tons”. Alguma memória especial?
Passamos muitos anos nesse projeto… existem milhares de momentos e memórias especiais. Mas o mais importante para mim é as pessoas que eu conheci e os relacionamentos que construí.

Fonte | Tradução: Bárbara S.

11.02.2018

Enquanto promovia Cinquenta Tons de Liberdade na bela Paris, Dakota concedeu uma entrevista pelo telefone com a revista ELLE. Confira à seguir o que eles conversaram:

Nunca tema—o escape erótico se aproxima, comCinquenta Tons de Liberdade chegando aos cinemas nessa semana. O filme finaliza uma trilogia baseada nos sucessos literários de E. L. James, que detalha (e nós enfatizamos o detalha) o romance com sabor de sadomasoquismo do bilionário que gosta de brinquedos sexuais Christian Grey com a própria, a única Anastasia Steele.

Em sua final aparição nas telonas, Ana—interpretada por Dakota Johnson—parece estar tendo seu retorno de Saturno. Tem muita coisa acontecendo, para ser sincero. Ela se casa com Christian, o possessivo-mas-aprendendo-a-melhorar (a parte do “Mrs. Grey” ainda não foi decidida), ganha um trabalho novo e uma casa nova gigante, é perseguida por seu antigo chefe, e—uh oh—acidentalmente engravida. Além desses grandes eventos em sua vida, nós também vemos Ana se defender em seu relacionamento do jeito que sempre fez, exceto que as apostas nunca estiveram tão altas.

Pelo telefone direto de Paris, Johnson contou à ELLE.com sobre a adição de última hora no filme que irá agradar os fãs, o vestido de casamento de Ana da marca Monique Lhullier, e… “coisas de bumbum”. Sim, confie em mim, tudo fará sentido em um minuto.

Os fãs ficarão feliz em verem a cena do sorvete entre Christian e Ana. Ela estava no segundo livro, mas não estava no segundo filme. Você pode nos contar sobre as gravações dela?
Ela foi uma cena adicional. Não gravamos originalmente enquanto estávamos filmando, gravamos depois nas regravações, então foi meio engraçado se distanciar do papel por um ano para depois voltar e gravar poucas cenas por dois dias. Foi um momento adicional, mas foi divertido.

Era sorvete de verdade?
Sim, era sorvete, mas sou alérgica a laticínios—então era sorvete de coco sem laticínios ou algo assim.

Então não era Ben & Jerry’s no final das contas.
Ah, não, não era—aquilo era magia cinematográfica.

Você e Jamie Dornan falaram constantemente sobre rir e se divertir no set. Há algo engraçado acontecendo nos bastidores?
Muitas coisas—tem sempre coisas acontecendo que não são o que você acha, mas essa é a glória dos filmes. Na maior parte do tempo, as coisas não são luxuosas. Elas não são glamourosas, e elas são em grande parte vergonhosas, mas nós temos a habilidade de nos colocar em uma luz boa.

Como nos outros dois filmes, você tem algumas cenas de nudez. Qual é a rotina de malhação da Ana Steele?
Muito dessa rotina era dieta, então especialmente em dias que eu tinha cenas de nudez para gravar, eu ficaria longe de açúcares e coisas que te incham ou te fazem sentir meio pesada e letárgica. E então eu corria muito. Nós tínhamos uma academia em um dos trailers, então se tivéssemos um intervalo durante o almoço ou eu tivesse um descanso entre cenas, o que era muito, muito raro porque estou em basicamente todas as cenas… mas não sou uma pessoa matinal, então eu não iria malhar assim que o sol nascesse antes de ir trabalhar. Eu começava a gravar às 4, 5 da manhã, então eu malhava durante o almoço, fazia um treino cardio e então aqueles pequenos movimentos que você faz para certos músculos. Não sei do que chamam esses: hidrantes e levantamento de perna, sabe, muitas coisas de bumbum.

Ah, coisas de bumbum? Todo mundo ama isso.
Coisas de bumbum, pois é. Eu malhava para caramba. Me matava todos os dias, porque não é fácil fazer esse trabalho durante o curso dos anos. É difícil manter isso, então obtive muita ajuda de nutricionistas, de pessoas que são bem atléticas. E eu também cavalgava no fim de semana—o que não era permitido, mas não contei a ninguém.

Relembrando todos os filmes de Cinquenta Tons, você tem uma cena sexy favorita ou alguma que é sua menos favorita?
Eu não tenho uma favorita… todas elas foram muito difíceis para mim, para ser sincera. Eu tenho uma menos favorita, e é do terceiro filme. Tem uma cena em que Ana está acorrentada a uma porta suspensa no quarto vermelho e de olhos vendados, ela está algemada em seus pulsos e pés. Aquilo foi difícil, porque não importa o quanto você saiba que aquele ambiente não é real, o quanto você está protegida e segura e pode trabalhar em sua própria velocidade, seus sensos estão privados. Quando você não consegue se proteger fisicamente e não consegue ver nada, automaticamente seu sistema nervoso começa a entrar em ação, e você se torna… seu cérebro reage de uma maneira que é meio ingovernável. Eu não conseguia realmente controlá-lo, então foi um momento difícil. Meu corpo me traiu—você entra um ataque de pânico sem poder decidir se terá um ataque de pânico ou não.

Isso soa estressante—tem algo que você pegaria para você do quarto vermelho?
Provavelmente não pegaria nada.

Você está tipo, “Tchau.”
Sim.

Há muita coisa acontecendo com Ana no filme. Seu vestido de casamento é lindo—como foi vesti-lo e gravar aquela cena?
O engraçado sobre guarda-roupa de filmes é que você tem a oportunidade de usar coisas e fazer coisas que ou você nunca fez em sua vida ou nunca terá a chance de fazer. Foi engraçado, parecia uma fantasia de verdade—não pareceu “minhas roupas” de forma alguma. Foi algo divertido e engraçado de se fazer. O vestido era lindo e foi feito sob medida para meu corpo; eles realmente fizeram um vestido de casamento para mim. Levou muito tempo e nós tivemos várias provas—não preciso fazer isso novamente.

Fonte | Tradução: Laura M.