Dakota fala sobre ‘Cinquenta Tons de Liberdade’ e movimentos feministas para a WHO Magazine

Ainda promovendo ‘Cinquenta Tons de Liberdade’, a revista WHO sentou-se para conversar com Dakota Johnson e Jamie Dornan sobre o filme, assim como outros assuntos. Confiram a entrevista traduzida na íntegra à seguir:

Nos diga algo sobre Dakota que talvez ela não queira que o mundo saiba.
Jamie: Ela tenta esconder, mas ela tem uma risada roncada. Quando está realmente achando graça, ela ronca agressivamente. E aí não consegue parar!
Dakota: Estou tentando muito não roncar agora!

Compartilhe algo sobre ele [Jamie Dornan].
Dakota: Jamie faz essa coisa que, quando está comendo, às vezes ele guarda comida na lateral da sua boca e conta uma história. Mas é uma história longa, então ele fica com essa bola de comida na lateral da boca por tempo demais.

Qual foi o momento mais sexy no filme?
Dakota: Não foi uma coisa muito sexy de se filmar, mas tendo visto os três filmes, se eu olhar objetivamente, tem uma cena no terceiro onde Anastasia está se vestindo e, por mais estranho que soe, foi um dos momentos mais sensuais.

O que você aprendeu sobre relacionamentos de acordo com o filme e seus vinte anos?
Dakota: Deus! Eu acho que do filme, aprendi que não existe um tipo certo de amor. E da minha própria vida, não existe um tipo de amor.

Qual é sua melhor memória do Dia dos Namorados?
Dakota: Eu conheci meu primeiro namorado no Dia dos Namorados no ensino médio e fiquei com ele por sete anos!

Sua mãe, Melanie Griffith, disse que quando o primeiro filme estreasse ela não assistiria. Ela já assistiu algum deles?
Dakota: Não, mas não é que ela se recusa a vê-lo. Eu só não acho que seja realmente apropriado para ela assistir e eu não pedi conselhos à ela porque tentamos ficar fora da vida criativa da outra.

Você tem esperanças de que as mulheres serão tratadas melhor nos sets de filmagens depois da campanha #MeToo?
Dakota: Sim. Eu falei muito sobre isso com minha avó [Tippi Hedren] porque ela passou por isso com Hitchcock em Os Pássaros e foi uma péssima experiência. Isso aconteceu há mais de 50 anos então tem acontecido por muito tempo e não é fácil falar sobre. Então, se eu puder fazer algo para ajudar a mudar as coisas para a próxima geração de atrizes, definitivamente tentarei fazer isso.

Você sente que esses filmes carregam uma mensagem que apoia os movimentos feministas??
Dakota: Eu não sinto de forma alguma que essa personagem ou filme estão impedindo a evolução da forma como as mulheres são tratadas. Inclusive, pode, esperançosamente, empoderar as mulheres para se defenderem e sentirem confiança em seus relacionamentos e local de trabalho.

Fonte | Tradução: Laura M.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *